Categorias
Economia Notícias

Indicadores correntes apontam para crescimento do PIB no terceiro trimestre

O IBC-BR registrou alta de 0,6% na passagem de junho para julho,
conforme divulgado. O resultado equivale a uma alta interanual de 5,5% com o mesmo período do ano passado. O BC não divulga as aberturas do indicador, mas as pesquisas do IBGE sugerem que comércio e setor de serviços contribuíram positivamente para o resultado.

Para os próximos meses, o maior grau de abertura da economia deve impulsionar a recuperação do setor de serviços, que deverá ser mais do que suficiente para compensar a moderação do desempenho da indústria, que reflete a escassez de insumos em alguns
segmentos.

Fonte: BC

Categorias
Economia Notícias

Consumo de bens ligados à reabertura econômica sustentou vendas do varejo em julho

As vendas do comércio varejista cresceram 1,2% na passagem de junho para julho, o que equivale a uma alta interanual de 5,7%. O resultado foi explicado principalmente pelo desempenho positivo de itens ligados à reabertura, como vestuário, calçados e outros artigos de uso pessoal e
doméstico, categoria que envolve lojas de departamento.

As vendas de móveis e eletrodomésticos, por outro lado, recuaram no período. O comércio ampliado, que inclui as vendas de materiais de construção e de veículos, motos, partes e peças, avançou 1,1% na margem, puxado pelo setor automotivo, já que as vendas de materiais de construção caíram.

Para os próximos meses, a migração do consumo de bens para serviços, somada ao aumento da inflação, contribui para moderação dos resultados do comércio varejista. No entanto, a reabertura econômica deve impulsionar as vendas de lojas de departamentos,
shoppings e algumas categorias de bens no curto prazo.

Fonte: Bradesco-DEPEC

Categorias
Economia Notícias

Confiança Industrial aponta expansão da atividade econômica

A confiança industrial, apurada pela FGV, aponta para expansão da
atividade econômica neste terceiro trimestre. O Índice de Confiança de
Serviços subiu 1,3 ponto em agosto, chegando ao maior nível desde setembro de 2013, com alta nos componentes de situação atual e de expectativas.

Já o Índice de Confiança do Comércio recuou 0,1 ponto no período, para 100,9. O resultado foi influenciado principalmente pela queda do componente de situação atual, após quatro altas consecutivas, refletindo piora na percepção de demanda atual.

Fonte: FGV

Categorias
Economia Notícias

Índice de confiança da Indústria caiu 1,4 em agosto

A Confiança industrial, apurada pela FGV, aponta para perda de tração em agosto, mas ainda é compatível com expansão da atividade econômica do setor.

O Índice de Confiança da Indústria caiu 1,4 ponto em agosto, chegando a 107 pontos. Essa queda, que ainda mantém o indicador em patamar que indica otimismo, veio após quatro meses consecutivos de alta.

O recuo foi influenciado principalmente pelo componente de situação atual, mas o de expectativas também registrou contração. Fatores como os gargalos associados à escassez de insumos, a elevação do custo de energia elétrica e as incertezas diante da nova variante delta têm ganhado relevância para determinar as percepções no setor industrial.

Fonte: FGV

Categorias
Economia Notícias

IPCA-15 acelerou em agosto

Segundo dados do IBGE, o IPCA-15 (Índice Nacional de Preços ao Consumidor – Amplo 15), considerado uma prévia da inflação oficial (IPCA), acelerou a 0,89% em agosto, após ficar em 0,72% em julho.

Essa foi a maior variação para um mês de agosto desde 2002, quando o índice foi de 1%. Com isso, o índice acumula alta de 5,81% no ano e de 9,3% em 12 meses. Em agosto de 2020, a variação havia sido de 0,23%.

Fonte: IBGE

Categorias
Economia Notícias

Vendas no comércio paulistano na 1ª quinzena de agosto

O comércio apresentou na primeira quinzena de agosto um crescimento médio de 17,1% no varejo paulistano em relação ao mesmo período de julho.

O frio persistente que se manteve nesse período, bem como a demanda reprimida e a abertura dos shoppings e lojas por maior tempo possibilitaram essa elevação. Outro fator importante foi o avanço da vacinação que traz mais confiança a população para ir as compras.

Itens como vestuário, calçados e acessórios foram os destaques em vendas no período e em razão das temperaturas baixas o valor agregado dos produtos foi maior que no ano passado.

Acreditamos que teremos a manutenção do crescimento do volume de vendas fortalecendo a economia, com geração de mais empregos pois proximamente termos datas importantes como Semana Brasil, Dia das crianças, Black Friday e Natal que contribuirão para isso.

Fonte: ACSP

Categorias
Economia Notícias

Indicadores correntes apontam para estabilidade do PIB no segundo trimestre

O IBC-BR registrou alta de 1,1% na passagem de maio para junho,
conforme divulgado na sexta-feira. O resultado ficou acima do esperado e equivale a uma alta de 9,1% na comparação com o mesmo período do ano passado.

O BC não divulga as aberturas do indicador, mas as pesquisas do
IBGE sugerem que o setor de serviços contribuiu positivamente para o
resultado. Assim, no segundo trimestre, o IBC-BR avançou 0,12% ante o primeiro trimestre.

E para os próximos trimestres, os ganhos de mobilidade
decorrentes dos avanços na vacinação da população são compatíveis com o PIB em território positivo.

Fonte: Bradesco-DEPEC

Categorias
Economia Notícias

Vendas nos shoppings cresceram no Dia dos Pais: Veja os números

De acordo com o relatório de vendas semanais elaborado pela ABRASCE em parceria com a Cielo mostra que na semana primeira semana do mês de agosto desse ano – dia 02 a 08 de agosto – houve um crescimento de 0,5% nas vendas em relação ao período pré-pandemia.

Esse desempenho foi impulsionado pelo Dia dos Pais e representa o primeiro resultado positivo desde o início do ano.

O relatório acompanhou o desempenho de todas a regiões do país, e segundo o levantamento a região Norte apresentou o maior crescimento entre os outros estados, com 24,2%, em relação ao período anterior à pandemia. Seguido da região Nordeste com 10,3%, Sul 3,8% e o Centro-Oeste com o crescimento de 3,3%. Já a região Sudeste, apresentou queda de 5% nas vendas quando comparado ao período pré-pandemia.

Mesmo com os resultados positivos durante a semana do Dia dos Pais, observa-se um movimento de recuperação gradual em todas as regiões do país.

Categorias
Economia Notícias

Estimativa de Inflação em 2021 e Produto Interno Bruto

Os analistas do mercado financeiro elevaram a estimativa de inflação em 2021 pela décima oitava semana seguida, ao mesmo tempo em que passaram a ver uma alta maior da taxa básica de juros da economia, a Selic.

As previsões do mercado constam no relatório “Focus”, divulgado nesta segunda-feira (9) pelo Banco Central (BC). Os dados foram levantados na semana passada, em pesquisa com mais de 100 instituições financeiras.

Para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a inflação oficial do país, a expectativa do mercado para este ano subiu de 6,79% para 6,88%.

No caso do Produto Interno Bruto (PIB) de 2021, os economistas do mercado financeiro mantiveram estimativa para o crescimento em 5,30%.

O PIB é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país e serve para medir a evolução da economia.

Fonte: BC