Buscar notícia


Vendas em shoppings cresceram 9,5% em 2019, diz ALSHOP

26/12/2019
Por: ALSHOP Marketing
Fonte: ALSHOP


Vendas em shoppings cresceram 9,5% em 2019, diz ALSHOP

As vendas de Natal nos shoppings cresceram 9,5% em 2019 em relação ao ano anterior. A Pesquisa feita pela Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (ALSHOP) reúne os dados de 30.000 pontos de vendas distribuídos por todo o país e representa 400 empresas de varejo. As vendas no período representaram R$ 37 bilhões em injeção de dinheiro na economia do país, segundo os dados da entidade.

Ao longo do ano de 2019, as vendas cresceram 7,5% no varejo de Shopping, o que corresponde a um faturamento de R$ 168,2 bilhões.

“As vendas cresceram acima do esperado especialmente no segundo semestre em um ano marcado por fatos importantes como a aprovação da reforma da previdência e uma gestão eficiente da política econômica que permitiu a redução dos juros, a liberação do FGTS e PIS/PASEP mas sobretudo por um ajuste das contas públicas, que mostra a determinação do governo de reduzir gastos permitindo que a economia e o comércio avancem e resultem em novos empregos e aumento nas vendas de forma sustentável”, explica Nabil Sahyoun, presidente da ALSHOP.

Os presentes mais procurados nos shoppings centers durante o período do natal foram itens de moda masculina (58% dos consumidores), brinquedos (40%), perfumes e cosméticos (34%), calçados (32%), acessórios de moda (25%), celulares e smartphones (17%), livros (11%), vale presente (9%), joias e bijuterias (9%) e eletrônicos e eletrodomésticos (9%). Na pesquisa os frequentadores dos centros de compra puderam fazer múltipla escolha dos itens.

Cenário positivo

Segundo a ALSHOP, a recuperação econômica ao longo do ano, a redução dos juros e o aumento no número de empregos levou a um cenário especialmente positivo ao longo de 2019. Os resultados foram positivos por fatores como:

Pagamento do 13° salário que injetou R$ 214,6 bilhões na economia, segundo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), o que representa 3% do PIB do país distribuído a 81 milhões de brasileiros.

A redução da taxa básica de juros que para 4,5%, a menor em 20 anos, favorece os financiamentos, que são instrumento vital para o consumo

A redução da inflação favorece a massa de renda e torna a economia mais dinâmica

A liberação dos fundos do FGTS e também do PIS/PASEP injetou mais R$ 42 bilhões o que favoreceu a quitação de dívidas mas também ajudou na retomada da economia e do consumo.


Últimas Notícias


O Grupo Mendes apresentou à Prefeitura de Praia Grande o projeto de um novo shopping para a cidade
O Grupo Mendes apresentou à Prefeitura de Praia Grande o projeto de um novo shopping para a cidade que receberá o nome de Villamar Shopping, com expectativa de inauguração para 2024. O local ficará em uma… Ler mais
11/02/2020 Comentários.
Menos de 300 dias para a LGPD e a ficha ainda não caiu nas empresas
Ainda é pequeno o nível de mobilização de empresas no Brasil para adequação da Lei Geral de Proteção de Dados, salvo algumas exceções, que iniciaram sua preparação antes mesmo da LGPD ser sancionada por terem operações… Ler mais
1/02/2020 Comentários.